Enfermagem

Princípios e fundamentos filosóficos e pedagógicos foram tidos em conta quando nos dispusemos a pôr em ação uma empreitada de formação humana no campo da Enfermagem que tem sobretudo, como escopo, o trabalho com pessoas humanas, as mais das vezes em situação de profundo desamparo e estrema insegurança, como é o caso dos portadores de doenças dos mais diversos tipos.

Tratando-se de uma ação pedagógica académica de natureza institucional. Fomos buscar nos estudos sobre a formação dos profissionais da Saúde, bem como nos documentos da SEUNE as diretrizes gerais de nossa ação, a saber:

PRINCÍPIOS PEDAGÓGICOS GERAIS

Para cumprir a missão que a SEUNE elegeu para si, o curso de graduação em Enfermagem orienta-se pelos seguintes VALORES GERAIS:

O grande desafio para o ser humano hoje – e da/o enfermeira/o, em particular – é, portanto, combinar trabalho com cuidado. Eles não se opõem, mas se compõem, limitam-se mutuamente e, ao mesmo tempo, se complementam. Juntos constituem a integralidade da experiência. O cuidado somente surge quando a existência de alguém tem importância para outro.

A enfermagem, seguindo esses princípios filosóficos, procura aplicá-los na estruturação do cuidar durante o processo saúde-doença, não esquecendo em momento algum o conceito atual de saúde, o entendimento das relações entre o ser e o meio ambiente e também o conceito atual de doença. Cuidar, para a enfermagem, é manter a visão integral da pessoa, buscando o equilíbrio, sempre por construir, entre corpo, mente e espírito, visando à totalidade deste ser e é assim que projetamos nosso curso e, para isso, estamos nos aplicando na formação das/os futuras/os enfermeiras/os egressos da SEUNE.

> Cidadania – que assegure a liberdade, os direitos e as responsabilidades individuais e comunitárias;

> Cooperação – que leve a interagir para o bem comum local, regional, nacional e internacional;

> Criatividade – que fomente comportamento capaz de inovar, teórica e praticamente, na construção interdisciplinar de conhecimentos e de práticas relevantes à transformação sócio-ambiental;

> Dignidade – que predisponha seus formandos a tratar e retratar com respeito toda pessoa e comunidade;

> Diversidade – que prepare para o respeito às características distintivas de pessoas e comunidades, em seus modos de ser e agir;

> Eqüidade – que promova o justo compartilhamento das condições fundamentais ao desenvolvimento humano;

> Integridade – que promova a honestidade e a ética nas relações inter-pessoais, decorrentes de toda e qualquer interação humana.

Ainda mais: tendo em vista as diretrizes e os objetivos que a SEUNE elaborou para a consecução de sua formação, as seguintes REFERÊNCIAS GERAIS para seus cursos – e que se aplicam como uma luva à Graduação em Enfermagem – bem como para o conjunto de todas as suas atividades formativas, cabem aqui ser apresentados como pontos de referência que são por nós permanentemente considerados:

A) Formar o cidadão ético

B) Formar profissionais qualificados para o enfrentamento das exigências do mundo contemporâneo

C) Desenvolver trabalhos de extensão como forma privilegiada de integração com a sociedade

D) Desenvolver atividades de pesquisa e divulgação de novos conhecimentos

E) Trabalhar para que o tempo escolar do aluno transcenda a sala de aula

CARÁTER SINGULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM DA SEUNE

A divisão entre corpo e mente tem levado, no trato com a saúde, à negligência de outras dimensões que compreendem o ser humano. A atenção médica foi transferida gradualmente do paciente para a doença. A focalização da doença como o centro da atenção da ciência e, conseqüentemente, do profissional de saúde, levou-o a afastar-se da pessoa, ou do ser humano que vivencia um processo dinâmico no que se refere à saúde e à doença. Ao mesmo tempo em que a ciência biomédica avança no conhecimento da “máquina humana” e do tratamento das doenças, ela se torna mais dependente da tecnologia e cria problemas de ordem social, política, econômica e moral que hoje conhecemos. Sem negar a tecnologia, é possível porém, afirmar que, após ter prevalecido, por séculos, a visão sustentada por esse paradigma racionalista, ele hoje se encontra incapaz de responder às suas próprias contradições e aos novos desafios.

A cosmo visão moderna, que nos brindou com imensos benefícios, mediante o incontestável progresso tecnológico e científico, dentre esses o aumento da expectativa de vida, controle de determinadas doenças, do sucesso dos transplantes, das maravilhas das células-tronco, deixou-nos também um legado que pode ser traduzido como uma arraigada atitude fragmentada, geradora de alienação, conflitos e incontável sofrimento psíquico e que pretendemos superar no nosso curso de Enfermagem. Assim, estamos certos da necessidade de uma consciência ampliada, com uma nova abordagem onde a trans-disciplinaridade seja uma realidade. Nesta ótica, é que o nosso curso de Enfermagem tem o propósito de formar profissionais enfermeiros/as, capazes de compreender o ser humano de forma integrada, como unidade, que carece de uma consciência ampliada e deve ser alvo de todo um processo educativo, que se propõe a atender a um compromisso com a educação integral e que contemple o ser humano em suas diferentes dimensões constitutivas. Para nós, o Profissional que compreende que o conhecimento é aquele que vai além do saber e do atuar sobre algo. O/A enfermeiro/a que queremos formar deve ser capaz de ampliar a consciência de si mesmo/a, no intuito de penetrar na essência das realidades.

Nesse sentido, tornam-se oportunas algumas considerações a respeito do que seja o cuidado. Leonardo Boff, referindo Heidegger, diz que o cuidado é o fundamento para qualquer interpretação do ser humano. Segundo o autor, se não nos basearmos no cuidado, não conseguiremos a compreensão total deste ser.

 

ENFERMAGEM – BACHARELADO - Autorizado pela Portaria N°. 1.150/2008 – Reconhecimento pela PORTARIA Nº 735, de 27 de dezembro de 2013.

Matriz Curricular Coordenação